Quero escrever. E agora?


Ideias novas nos vêm à cabeça o tempo todo: quando estamos parados no trânsito, relaxando, dando uma volta no shopping, malhando, tomando banho ou aquele café quentinho... E às vezes queremos colocá-las no papel. E então decidimos organizá-las. E aí queremos compartilhá-las com familiares e amigos. E, por fim, queremos publicá-las, para que o mundo nos conheça.

Tá, mas como começar?

O primeiro passo é estruturar seu projeto. Ele precisa ser viável tanto para você produzir quanto para o leitor se interessar e, então, adquirir sua obra.

Esqueça a ideia de escrever logo de cara um enorme tratado sobre determinado assunto; ele não precisa se esgotar rapidamente em apenas uma obra – na sua obra. Foque num material cujo conteúdo seja de qualidade, embora curto – tenha em mente que qualidade e quantidade nem sempre andam juntas. Não precisa ser muito aprofundado, com a pretensão de esgotar tudo o que se conhece sobre o tema, nem superficial demais. Selecione informações que façam sentido ao leitor e despertem seu interesse.

Para quem você pretende escrever? Perguntinha boba, né? Pode até parecer, mas é a partir dela que você embasará corretamente o assunto que pretende abordar e a linguagem que usará – por exemplo, mais coloquial, se for falar com jovens; mais formal, se for uma obra acadêmica; etc.

É importante você dominar bem sobre o que pretende escrever. Você compraria um livro de receitas elaborado por alguém que não gosta de cozinhar ou um guia de viagens escrito por uma pessoa que não viaja? Então...

Já tenho o assunto, sei para quem vou escrever, meu projeto parece viável... E agora?

Agora é hora de montar um roteiro. Crie títulos que delimitem seu tema principal em subtemas; isso vai ajudá-lo a organizar melhor suas ideias e, consequentemente, seu texto. Esses títulos podem vir a ser os capítulos de seu livro e não precisam ser definitivos inicialmente; use-os, em princípio, apenas como guia mesmo. O ideal é que introdução e conclusão sejam elaborados por último, para que você os baseie de fato no conteúdo do livro e evite correções infinitas nesses textos.

Escrevi tudo, tudinho!

Agora é hora de dar um título à sua obra. “Mas por que só agora? Essa foi a primeira coisa que eu defini!”. E se sua ideia inicial era escrever o livro A mulher que sabia demais e, no decorrer do enredo, a coisa foi mudando de figura e você achou mais interessante a mulher não saber tanto assim?

Melhor deixar para o final mesmo, né?

Se você quer começar a escrever e tem alguma dúvida, escreva pra gente: editorial@amelieeditorial.com.

Bibliografia de apoio: BACELLAR, L. Escreva seu livro: guia prático de edição e publicação. São Paulo: Mercuryo, 2001.

35 visualizações

© 2019 ​Amélie Editorial. Todos os direitos reservados.

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now